Centrais preparam atos contra a Reforma da Previdência

As centrais sindicais de trabalhadores se reuniram esta semana, na terça-feira, 26, para definir o cronograma de ações de combate à Reforma da Previdência. O grupo, formado pelas centrais ova Central, CUT, Força Sindical, CTB, UGT, CSB, intersindical Luta e Organização, CSP-Conlutas, Intersindical-Central da Classe Trabalhadora e CGTB definiram a data de 22 de março como Dia nacional de Luta e Mobilização em defesa da Previdência. Uma greve geral em defesa das aposentadorias também está sendo elaborada.

O projeto de Reforma da Previdência foi entregue ao Congresso Nacional pelo presidente da República Jair Bolsonaro. A medida implementa alterações no tempo de vida do cidadão para solicitar a aposentadoria, que será, se aprovada, de 65 anos para homens e mulheres. Além disso, ela acaba com o tempo de contribuição, que era de 30 anos para mulheres e 35 para os homens, entre outras alterações.

“A reforma vem apenas para prejudicar a classe trabalhadora. O Fórum Sindical vai aguardar ao andamento das coisas para definir que ações irá tomar”, destaca o coordenador do Fórum Sindical de Trabalhadores de Brusque e região, Jean Carlo Dalmolin.

O tema da Reforma foi abordado durante a primeira reunião do ano do Fórum Sindical de Trabalhadores de Brusque. Os sindicalistas foram unânimes em afirmar que a classe trabalhadora é a mais prejudicada com a proposta da forma como o governo a elaborou e entregou ao Congresso Nacional.