21/01/2016

Convênio com hospital, Movida e problemas no Sine marcam primeira reunião

O Fórum de Entidades Sindicais de Trabalhadores de Brusque e região se reuniu pela primeira vez no ano na manhã desta segunda-feira, dia 25. Na pauta, temas relacionados às entidades que integram o órgão, a realização do evento Movida (Movimento em Defesa da Vida, Saúde e Segurança da Classe Trabalhadora Catarinense) e convênio com o hospital de Azambuja.

 

Sobre este último assunto, o administrador do hospital, Fabiano Amorim, apresentou aos sindicalistas proposta de valores reduzidos nos pronto atendimento particular e de convênios. A negociação deve beneficiar um número superior a 40 mil pessoas, entre sócios e dependentes das entidades. Principalmente após o anúncio do fechamento de espaço semelhante no Hospital e Maternidade de Brusque (Evangélico).

Amorim ainda apresentou ao grupo as ações e investimentos previstos pela direção do hospital para este ano, bem como novos serviços que estão sendo oferecidos. Entre estes o de pediatria.

 

MOVIDA

 

Na reunião, nos sindicalistas trataram das ações que estão sendo organizadas para a 14ª edição do Movida (Movimento em Defesa da Vida, Saúde e Segurança da Classe Trabalhadora Catarinense), que este ano acontecerá em Brusque, no dia 28 de abril.

 

Trata-se de um grande ato público, reunindo milhares de pessoas de várias partes do estado, entre sindicalistas, políticos e lideranças empresariais. O Movida busca chamar atenção para os elevados índices de acidentes e doenças do trabalho. Durante o mês, vários eventos serão realizados na cidade de Brusque para marcar a ação. Palestras, audiência pública, debates, culminando com o ato público, que vaio percorrer todas as ruas do Centro, com concentração final nas escadarias da igreja São Luiz Gonzaga.

 

“Isso é em nível estadual e o fórum de Brusque esta com a responsabilidade de organizar. Tenho certeza que e um evento que vai ficar marcado na história de Brusque”, destacou o novo coordenador do Fórum, João Decker. Ele assumiu a função nesta segunda-feira, substituindo Izaias Otaviano, que esteve à frente do órgão nos últimos dois anos.

 

SINE

 

Outro assunto discutido na reunião do Fórum foi quanto ao atendimento do Sine de Brusque. Associados aos sindicatos reclamaram às entidades e pediram ajuda para que se interceda e solicite melhora no serviço. Anibal Boettger, presidente do Sintrafite, informou que ouvira caso de uma pessoa que chegou a ficar quatro horas para ser atendida no local.

 

A informação que chegou ao Fórum é de que há um número limitado a 30 atendimentos e apenas um funcionário para dar conta da demanda. “Estamos num momento delicado e que há elevado índice de desemprego e as pessoas precisam do serviço do Sine”, afirmou Boettger.

 

O Fórum vai montar uma comissão para verificar o caso da demora e mau atendimento reclamado pelos trabalhadores.

A próxima reunião do Fórum acontece no dia 22 de fevereiro, a partir das 9h, no Sintrivest. Antes, no dia 11, o órgão se reúne com as centrais sindicais do estado para tratar da organização do Movida. Visitas a entidades empresariais de Brusque constam na agenda.