Criada a CIST em Brusque

Durante todo o dia nesta segunda-feira, dia 13, sindicalistas, representantes do poder público de Brusque, profissionais de segurança no trabalho participaram do Seminário de Qualificação que criou a Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador (CIST). O evento aconteceu no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque (Sintimmmeb). 

 

A CIST foi criada a partir de luta do movimento sindical trabalhista de Brusque e, para sua concretização, contou com o apoio direto do Conselho Municipal de Saúde (Comusa) local. A dificuldade de ações e políticas públicas voltadas ao tema saúde do trabalhador foi o que motivou a criação do órgão, que será formado pelo chamado braço tripartite: trabalhadores, empresas e da Prefeitura.

 "A Cist não se faz sozinha. É fundamental a participação do Conselho de Saúde, vigilância sanitária, entre outros", pontuou o palestrante da manhã, Arnaldo Marcolino, do Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (Diesat).

 

Para o segundo palestrante do dia, Rogério de Jesus Santos, da secretaria de Saúde da Força Sindical, o tema saúde do trabalhador não deve ser tratado com outro qualquer e requer atenção especial e específica. “Muitas coisas são discutidas. Saúde do trabalhador se impõe”, frisou.

 

Antes da criação da CIST, dados sobre acidentes de trabalho praticamente não existiam de forma oficial. Isso por conta de que ao ser atendido em uma unidade de saúde ou hospital, o trabalhador não tinha registrada a razão do que o levou ali, fosse por doença ou, em muitos casos, por acidente de trabalho.

De acordo com a secretária municipal de Saúde de Brusque, com a CIST haverá a possibilidade de se elaborar estatísticas mais específicas sobre essa situação. “Agora tudo será diferente em relação a esses números”, destacou na abertura do Seminário.

Maria Roseli Beuting, presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados (Sindnapi), membro do Comusa e Brusque e uma das organizadoras do Seminário, confirma as colocações de Ana Ludvig. “Com a CIST funcionando no município os dados vão mudar e saberemos onde precisamos trabalhar com mais intensidade".

 

O coordenador do Fórum Sindical de Trabalhadores de Brusque e região, órgão do qual integram doze entidades laborais de Brusque, Izaias Otaviano, comemorou a criação da CIST. “A criação da CIST é uma reivindicação antiga do movimento sindical de Brusque. nas reuniões do Fórum Sindical, que são mensais, solicitávamos que se levasse ao Comusa essa nossa preocupação, bem como a necessidade de se criar essa ferramenta para que possamos trabalhar, em todos os setores, as questões de saúde do trabalhador. Graças a Deus conseguimos”.