Palestra abordou índices de acidentes e doenças do trabalho

As ações de prevenção a acidentes no trabalho, estatísticas sobre o assunto foram tema da palestra Prevenção de riscos e ergonomia no trabalho, realizada na noite desta quinta-feira, 26, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis de Brusque e região (Sintrafite). O evento integrou o movimento Abril Verde, que trata sobre o tema acidentes e doenças no trabalho, e foi organizado pelo Fórum de Entidades Sindicais de Trabalhadores de Brusque e região.

 

O ministrate, Clóvis Lewin, que é técnico em segurança do trabalho, bombeiro civil e alpinista industrial profissional, apresentou dados sobre a quantidade de casos de acidentes no trabalho ao longo dos últimos anos no país e no mundo. Entre estes o de que Santa Catarina está na liderança. Construção civil e serviços figuram entre os setores que ocupam as primeiras posições.

 

Segundo ele, o não uso de equipamentos de proteção que poderiam evitar mutilações e até a perda de vidas tem sido um dos principais motivos para esses índices elevados. 

 

"Pudemos ver que ainda falta muito incentivo dos empregadores. Além de investir nos equipamentos, há a necessidade de capacitar o trabalhador da forma adequada para usar os itens de proteção", destaca Lewin, afirmando que muitos destes empregadores optam por não investir em prevenção e acabam tendo de arcar, depois, com custo maior quando da ocorrência de algum acidente.

 

O coordenador do Fórum de Entidades Sindicais, Jean Carlo Dalmolin, lembrou que a incidência de acidentes e doenças do trabalho é mais corriqueira em determinados setores. Algo que ficou evidenciado nos depoimentos de várias pessoas presentes na palestra e que passaram por esse tipo de situação em algum momento da vida.

 

"Todos tiveram a chance de se pronunciar e até falar de situações e casos que aconteceram com eles próprios dentro das empresas em que trabalham ou trabalharam", pontua Dalmolin.

 

O Movimento Abril Verde foi criado com objetivo de chamar a atenção da sociedade e dos governos quanto aos elevados índices de acidentes no trabalho, bem como afastamentos de trabalhadores devido a problemas de saúde adquiridos durante a atividade laboral. Só com auxílio-doença por conta destes casos, o INSS gastou nos últimos quatro anos em todo o país mais de R$ 26 bilhões. 

 

A data de 28 de abril é utilizada como referência para lembrar as vítimas de acidentes e doenças do trabalho ao redor do mundo.