Sindicalistas discutem segurança, saúde e obras como prefeito de Brusque

Os integrantes do Fórum de Entidades Sindicais de Trabalhadores de Brusque e região se reuniram na manhã desta sexta-feira, 27, como o prefeito de Brusque, Paulo Eccel. A reunião integra a retomada de encontros dos sindicalistas como o prefeito, interrompida em 2014. O encontro foi realizado no gabinete de Eccel. Os assuntos tratados se concentraram aos setores de saúde, secretaria de Obras e segurança pública.

O sindicalista José Isaias Vechi (Sintimmmeb) questionou sobre a secretaria de Obras, que muitas vezes inicia um trabalho e não o concluiu com rapidez. “Têm coisas que às vezes não dá. Uma boca de lobo, por exemplo. Por quê tem que deixar alguém por o pé lá dentro e dar munição para a oposição. Porque que não se começa e termina?”, questionou.

Sobre segurança pública, Mario Luiz Dada (Bancários) disse que anda pela cidade, principalmente no Centro, e a região está abandonada pela falta de policiais, algo que em outras épocas era comum um agente no espaço próximo da praça Barão de Schneéburg. Sugeriu que o prefeito faça contato com o comando da Polícia Militar para que se disponibilize mais policiais na área central, que há muito tempo, segundo ele, não tem tido reforço. “Precisa estudar alguma nesse sentido. Não dá mais pra ficar assim”.

 

Anibal Boettger (Sintrafite) falou sobre a secretaria da Saúde e questionou sobre um assunto pontual, que é a questão da cota de exames destinada aos sindicatos. Houve um contato com a Prefeitura sobre a possibilidade de aumento de cotas de exames, devido à procura dos associados que também cresceu, mas nada de resposta até o momento. “Junto à secretaria da saúde precisamos de uma resposta se existe a possibilidade de aumentar as cotas ou não”, disse ele, cobrando, ainda, sobre a execução de melhoria em uma calçada na Rua Gustavo Halfpap.

 

Orlando Soares Filho (Sinseb) disse que a cidade está bem cuidada em termos de atuação da equipe da secretaria de Obras. Elogiou a questão do fim da terceirização no setor, o que deu melhora na qualidade dos serviços prestados pela secretaria.

 

Izaias Otaviano (Sintricomb e coordenador do Fórum) concordou com o sindicalista dos erviço público e disse que precisa verificar a possibilidade de se dispor de ambiente mais adequado para a alimentação dos que trabalham diretamente nas ruas. “Muitas vezes se passa nas ruas e um está comendo num canto, outro no lado, um em cima do outro embaixo do sol”. Palavras corroboradas por Marli Leandro (Sintrivest), que falou ainda sobre a questão do transporte dos trabalhadores de Obras. Ela disse que deveria ser visto um estudo transporte coletivo parta os que vão de ônibus possam ser deixados mais próximos do trabalho.

 

RESPOSTAS DO PREFEITO

 

O prefeito Paulo Eccel disse que está aproveitando a mudança de local da secretaria de Obras para implantar algumas modificações no dia a dia a dia da mesma. Segundo ele, não existe uma estrutura de direção na pasta, o que acaba por prejudicar a gestão, que fica concentrada no secretário Gilmar Vilamoski. No ano passado, segundo ele, foi feito um levantamento junto aos trabalhadores da secretaria e verificou-se que o RH do setor enfrenta muita dificuldade. “Estamos definindo uma mudança substancial da secretaria de Obras nesse aspecto.  A partir de março haverá mudanças para que haja mais integração”, pontuou.  Segundo ele, no novo local da secretaria existe a intenção de se criar um espaço de buffet para os trabalhadores. Há, da mesma forma, uma discussão sobre ajustes de transporte dos trabalhadores em relação ao transporte coletivo na negociação coletiva com o Sinseb, Sindicato dos Servidores Públicos.

 

Sobre a calçada na Gustavo Halfpap, Eccel disse que a melhoria está prevista no programa Orçamento Participativo. “A chuva e o mau tempo têm prejudicado a execução dos trabalhos. Detritos jogados nas ruas fazem com que a pressão exercida com a chuva acaba por danificar calçadas e asfalto”, frisou ele, afirmando, sobre o OP, que todas as obras do programa terão prioridade de agora em diante, com exceção das emergenciais.

 

Sobre disponibilizar barracas ou espaço para almoço aos funcionários da secretaria de Obras que atuam nas ruas, o prefeito disse que em alguns casos é possível, nas obras de menor tempo de execução, mas não dá de estender a todos.

 

Sobre as cotas de exames, ele disse que vai cobrar da secretária da Saúde a solução do impasse. “Precisa ser resolvido, pois vocês são nossos parceiros. Uma resposta, positiva ou negativa tem que vir. Vou cobrar da Ana que uma resposta venha até semana que vem”, pontuou Eccel.

 

Sobre a segurança pública, o prefeito disse que está sendo iniciada uma campanha de conscientização para não dar esmola nas ruas. Citou casos que presenciou nas vias de pessoas pedindo dinheiro. “Vou verificar com a Assistência Social ou Ibplan, junto com a Polícia Militar, uma ação nesse sentido. Não existe mais porque ter morador de rua, pois temos a Casa de Passagem. A não ser quem quer viver na rua por opção sua”. Os integrantes do Fórum vão contatar o comando do 18º Batalhão da Polícia Militar de Brusque sobre o assunto.